Adácio Pestana

Biografia

O Séc. XX foi um período de grandes acontecimentos para a Humanidade, desde as invenções da eletricidade, do automóvel, o desenvolvimento da medicina, passando por duas grandes guerras mundiais e terminando no boomda tecnologia.

Em Portugal viveu-se a Implantação da República, o Salazarismo, a Revolução dos Cravos e por fim a adesão à Comunidade Económica Europeia. Pelos aspetos referidos anteriormente, reparamos que Adácio Pestana viveu e presenciou períodos de grande agitação política e social.

Desde cedo, Adácio Pestana dedicou a sua vida à música, tendo começado a aprender pela mão do seu avô, Manuel Ferreira, em 1935. Mas só em 1941, quando é admitido na Escola dos Pupilos da Guarda é que tem contacto pela primeira vez com a trompa, rejeitando a possibilidade de tocar trompete. Mais tarde, integra a Banda Sinfónica da Guarda Nacional Republicana, fazendo parte de um dos únicos meios profissionais da arte musical em Portugal.

O amor à primeira vista pela trompa fez com que se inscrevesse no Conservatório Nacional. Rapidamente se tornou um dos músicos mais notáveis da sua geração pelas suas qualidades demais evidentes.

Em 1950, ao integrar os quadros permanentes da Orquestra Sinfónica da Emissora Nacional e ao vencer o primeiro prémio do concurso “Thomaz del Negro”, ganha o lugar de primeira trompa solista na mesma orquestra.

A conclusão do conservatório em 1961 faz com que a fundação Calouste Gulbenkian lhe forneça uma bolsa para frequentar um curso de aperfeiçoamento em Zurich com o Prof. Werner Speth. No entanto, a sua estadia foi curta, pois segundo o Prof. Werner Speth “…Todos os predicados que o senhor Pestana reúne como trompista e pedagogo elevam-no a uma capacidade como actualmente poucas existem. O seu domínio magistral da técnica, o seu fraseio sempre nobre, impregnado no espírito de autêntica musicalidade e a sua sonoridade rica

13

de colorido despertam a minha franca admiração. É de desejar de todo o coração que tamanhas qualidades de músico, como as que reúne o senhor Pestana – qualidades que actualmente se tornam extremamente raras – venham a ser aproveitadas em benefício de um grande número de alunos. …”

No mesmo ano, compra a sua primeira trompa de alta qualidade, Alexander, e torna-se o primeiro trompista Português a ser conselheiro para a fabricação de instrumentos da própria marca.

Em 1962 é nomeado Professor no Conservatório Nacional.

Adácio Pestana abordou nos seus concertos as mais importantes obras do reportório Clássico e Romântico, não esquecendo também o reportório contemporâneo e a música Portuguesa. Tocou com os maiores maestros e músicos do seu tempo e apresentou-se a solo pelo mundo fora, recebendo convites para integrar orquestras fora do país.

O seu ascendente musical é conotado nas críticas dos jornais e pela sociedade artística como um músico e ser humano de eleição.

Após a sua morte e nos dias de hoje, Adácio Pestana, continua a estar presente na memória de quem conviveu com um músico e ser humano humilde e trabalhador.